areaRestrita

Decida quanta energia você está disposto a empregar para atingir sua meta. Quantas horas por dia você está disposto a trabalhar? (Les Brown)

Pense como uma pessoa de ação e aja como uma pessoa que pensa. (Henri Louis Bergson)

A vida só pode ser compreendida olhando-se para trás, mas só pode ser vivida olhando-se para frente. (Soren Kierkegaard)

Sou uma parte de tudo aquilo que encontrei no meu caminho. (Alfred Tennyson)

As invenções são resultado de um trabalho teimoso. (Santos Dumont)

Não são os grandes planos que dão certo. São os pequenos detalhes”. (Stephen Kanitz)

Existindo a pergunta, a mente pensa de novo. (Nancy Kline, Time to Think)

Sabemos o que somos, mas não o que poderemos ser. (William Shakespeare)

A maioria das organizações é supergerenciada e subliderada. (John Kotter, escritor)

Seja a mudança que quer ver no mundo. (Dalai Lama)

MAU HUMOR E TPM

Mau humor e TPM

"A ausência mensal do hormônio ansiolítico natural ao corpo é mais drástica em algumas mulheres, que ficam especialmente irritáveis no período pré-menstrual"

Você também deve ter disso: aqueles dias em que a irritação contamina seu modo de ver o mundo e tratar as pessoas. Este é o mau humor, um estado de predisposição a agir e reagir com agressividade, ironia e impaciência a comentários e situações que normalmente não nos tirariam do sério.


A agressividade emerge de zonas antigas do cérebro que controlam comportamentos sociais, incluindo a amígdala e o hipotálamo. Nas horas certas, respostas impulsivamente agressivas têm sua função: demarcam nosso território, protegem nossa integridade, enfrentam quem nos ameaça. Mas se a ameaça não é real, ou se uma resposta agressiva não é uma boa ideia, o córtex pré-frontal tenta inibir nossos impulsos – e de uma maneira, aliás, que depende de serotonina. Por isso, antidepressivos que modificam os níveis de serotonina no cérebro são eficazes para controlar a raiva, a agressividade e o mau humor desajustados.


Cada um tem suas tendências e uma facilidade maior ou menor de espantar o mau humor causado por operadores de telemarketing, fechadas de carro, barulho e até variações hormonais, como na tensão pré-menstrual. Nem todas as mulheres ficam com o humor irritável no período pré-menstrual (ainda bem!), muito menos a ponto de se caracterizar um distúrbio que precise de ajuda médica. A princípio, contudo, todas as mulheres estão sujeitas a essa variação do humor, mesmo que em pequeno grau, por uma razão simples: ela resulta dos efeitos sobre o cérebro da variação do hormônio progesterona que leva à menstruação.  


A progesterona se acumula no sangue a cada ciclo menstrual a partir da ovulação, pois é produzida pelo corpo lúteo que acompanha o óvulo. Nos dias que precedem a menstruação, é esse hormônio que faz o revestimento interno do útero se espessar, em preparação para a implantação de um embrião.


Suas funções, no entanto, não acabam aí. Chegando ao cérebro, a progesterona age como um poderoso ansiolítico natural para as mulheres: ela aumenta a capacidade do cérebro de regular a ansiedade, a agressividade e a resposta ao estresse de modo geral – e assim preserva a grávida. No período pré-menstrual, contudo, quando o corpo lúteo degenera e o nível de progesterona no sangue cai drasticamente, esse efeito ansiolítico natural é perdido, e o cérebro fica mais susceptível ao estresse, à ansiedade e à depressão.


Nem todas as mulheres são afetadas do mesmo jeito. A ausência mensal do hormônio ansiolítico natural ao corpo é mais drástica em algumas mulheres que possuem, provavelmente por razões genéticas, uma quantidade menor dos receptores no cérebro que respondem à progesterona. Para elas, qualquer queda do hormônio leva a perda significativa do efeito ansiolítico natural e, como resultado, essas mulheres ficam especialmente irritáveisno período pré-menstrual, capazes de reagir à menor ameaça com uma intensa resposta de estresse, de responder agressivamente até a gestos e comentários inócuos.


O mau humor de fundo hormonal, no entanto, não é uma “licença para matar”. Aliás, nem o justificado pela frustração com operadores de telemarketing: mesmo que a perda temporária da progesterona ansiolítica ou um atendente especialmente incapaz explique o estado de agressividade, eles não justificam qualquer tipo de comportamento grosseiro. A razão é simples: todos nós somos capazes de usar os serviços docórtex pré-frontal para dominar nossos impulsos. O primeiro passo para dominá-los é tomar consciência deles.

Veja Também